Quinta, 11 Novembro 2021

Vereadores aprovam Refúgio de Vida Silvestre na Floresta do Camboatá

Em sessão ordinária, vereadores rejeitaram vetos do Poder Executivo a projetos de lei e aprovaram o tombamento do imóvel da escola de samba Lins Imperial e a delimitação do bairro Fazenda Botafogo

Flavio Marroso
Vereadores aprovam Refúgio de Vida Silvestre na Floresta do Camboatá

Os vereadores da Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovaram nesta quinta-feira (11) a criação do  Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) da Floresta do Camboatá, em Deodoro, Zona Oeste do Rio. O PL 1345-A/2019, aprovado em 2ª discussão, determina que o Poder Público deverá aprovar o Plano de Manejo Integrado do Camboatá, que incluirá o Refúgio de Vida Silvestre da Floresta do Camboatá e demais unidades de conservação que existam na região. A matéria segue agora para sanção ou veto do prefeito Eduardo Paes. 

O intuito da medida é preservar os exemplares raros, endêmicos, ameaçados de extinção ou insuficientemente conhecidos da fauna e da flora, além de recuperar a qualidade da água dos mananciais e a cobertura vegetal existente. Outro ponto buscado pela proposta é garantir a sobrevivência e o curso natural da evolução da população de árvores nativas que ocorre no local. A Floresta do Camboatá já esteve no centro de uma polêmica sobre a construção de um novo autódromo da cidade do Rio, projeto que foi cancelado pelo prefeito Eduardo Paes no início do ano. Na sessão desta quinta-feira, o secretário Municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, acompanhou pessoalmente a votação no Plenário da Câmara. 

Um dos autores do projeto, vereador Célio Lupparelli (DEM), destacou que a Câmara Municipal do Rio deu um exemplo hoje a todas as cidades do país. “Quero agradecer ao prefeito Eduardo Paes e toda a sua equipe por ter arquivado a proposta do governo passado de construção de um autódromo na região da floresta do Camboatá. Ninguém é contra a construção de um autódromo, mas não derrubando floresta, o que traria consequências ao ciclo da água, ao ciclo do gás carbônico e do oxigênio, afetando sobremaneira o regime de chuvas, provocando enchentes com prejuízos incalculáveis para o ecossistema. Essa Casa comprovou que é possível promover o crescimento econômico preservando o ecossistema e o desenvolvimento sustentável”, disse. 

O  líder do governo na Câmara do Rio, vereador Átila Nunes (DEM), que também é coautor da matéria, ressaltou que a criação do Refúgio de Vida Silvestre da Floresta do Camboatá garante a preservação da fauna e flora ameaçadas da região de Deodoro e o reflorestamento da área desmatada. “Esse projeto vai servir de exemplo para todo o país. Estamos acompanhando com atenção as discussões dos participantes da COP 26, na Escócia, e os alertas sobre os riscos dos danos causados pelo homem ao meio ambiente. Salvar as nossas florestas é proteger a vida”, afirmou. 

Coautor da proposta, o vereador Chico Alencar (PSOL) lembrou da participação de movimentos ambientalistas e de moradores do entorno na discussão sobre o destino que seria dado à Floresta. "Felizmente conseguimos essa baita vitória que, é claro, só é possível porque a comunidade se mobilizou, não esmoreceu, lutou e se organizou", discursou. 

Assinam o projeto os vereadores Prof. Célio Lupparelli (DEM), Átila A. Nunes (DEM), Dr. Carlos Eduardo (Pode), Tarcísio Motta (PSOL), Inaldo Silva (Rep), Dr. Marcos Paulo (PSOL), Paulo Pinheiro (PSOL),  Wellington Dias (PDT), Rocal (PSD), Cesar Maia (DEM), Luiz Ramos Filho (PMN), Chico Alencar (PSOL), Celso Costa (Rep) e Jorge Felippe (DEM) e o ex-vereador Renato Cinco.

 

Vetos derrubados

No início da sessão, os parlamentares rejeitaram os vetos do Poder Executivo a projetos de lei, que serão promulgados pelo presidente da Câmara, vereador Carlo Caiado (DEM). Foram rejeitados os seguintes vetos:


Veto total  ao PL 413/2017, do ex-vereador Chiquinho Brazão, que cria polo gastronômico ruas do bairro da Abolição;

Veto total  ao PL 746/2018, do vereador João Mendes de Jesus (Rep), que cria o polo gastronômico, cultural e de lazer do bairro de Higienópolis; 

Veto total ao PL 1660/2019, do vereador Alexandre Isquierdo (DEM), que cria o Polo Gastronômico, Cultural e Turístico da Praça Dois;

Veto total ao PL 116/2021, do vereador Rogerio Amorim, que cria o polo gastronômico Dona Moreninha no bairro Tijuca;

Veto total ao PL 124/2021, do vereador Waldir Brazão (Avante), que institui a Campanha Municipal de incentivo à doação de cabelo a pessoas carentes em tratamento contra o câncer.

 

Veja abaixo os demais projetos de lei aprovados em 2ª votação na sessão ordinária desta quinta-feira (11), que seguem para sanção ou veto do Poder Executivo:

 

Imóvel que sedia a Sociedade Escola de Samba Lins Imperial é tombado

PL 334/2021 - Tomba, por seu relevante valor artístico, turístico e cultural, o imóvel que abriga a Sociedade Escola de Samba Lins Imperial, localizado na Rua Lins de Vasconcelos, nº 623, no Lins de Vasconcelos, XIII Região Administrativa, Área de Planejamento 3.2.

O autor da proposta, vereador Marcio Ribeiro (Avante), enumerou os motivos de sua proposta: “a iniciativa visa ofertar para as pessoas do bairro a oportunidade de ter nesse espaço não só os ensaios da Lins Imperial, mas também o acesso à cultura, seja de forma a produzi-la ou simplesmente utilizá-la. Assim, corrigimos anos de abandono e degradação da cultura local”, disse.

Autor: Marcio Ribeiro (Avante)

 

Projeto delimita o bairro Fazenda Botafogo 

PL 302/2021 - Proposta cria e delimita o bairro de Fazenda Botafogo e altera os limites do bairro Coelho Neto, na Gerência Executiva Local (Rocha Miranda). De acordo com a proposta, o Bairro Fazenda Botafogo terá os seguintes limites: Avenida Prefeito Sá Lessa seguindo até a Rodovia Governador Mário Covas (Avenida Brasil), até a Avenida Pastor Martin Luther King Junior seguindo até a Avenida Prefeito Sá Lessa, no ponto de partida. 

O atual sub -bairro Fazenda Botafogo é uma comunidade com cerca de 120 mil habitantes, que detém opções de lazer, comércio, transporte coletivo e outras exigências que a vida em comunidade necessita para o bem estar de seus habitantes. “A presente proposição enfeixa o desejo da cidadania ali presente que se manifestou de forma unânime pela transformação em bairro, pois se trata de um aglomerado urbano dotado de toda a infraestrutura de saneamento e galerias pluviais”, ressaltou o autor do projeto, vereador Celso Costa (Rep).

 

 

Veja também:

Jul 18, 2024

Agora é lei: cidade do Rio ganhará novo autódromo após 12 anos

Foi sancionada, nesta quinta-feira (18/07), após ser aprovada na Câmara de Vereadores do…
Jul 16, 2024

Agora é Lei: divulgação do direito de troca de implante mamário para tratamento de câncer se torna obrigatória

A cidade do Rio terá uma campanha permanente de conscientização e divulgação do direito…
Jul 16, 2024

Agora é Lei: unidades públicas e privadas de saúde do Rio deverão ter climatização em áreas de espera

Foi sancionada, nesta terça-feira (16/07), a Lei 8.489/2024, que determina que as áreas…
Jul 12, 2024

Visitas ao Palácio Pedro Ernesto têm horário ampliado em julho

O Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara do Rio, está de portas abertas para visitação do…
Jul 11, 2024

Sancionada lei que cria programa para atendimento de vítimas de preconceito religioso e racial

Foi sancionada, nesta quinta-feira (11/07), a Lei 8.473/2024, que cria o Programa…
Última modificação em Sexta, 25 Março 2022 15:11

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia
Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121

Mapa do site



© 2021-2024 Câmara Municipal do Rio de Janeiro