Segunda, 26 Julho 2021

Lei da reforma tributária municipal entra em vigor

Diretrizes orçamentárias para 2022 também foram sancionadas pelo Executivo

Foi publicada no Diário Oficial do Município do Rio desta segunda-feira (26) a sanção da Lei nº 7000/2021, que institui a reforma tributária no município do Rio. De autoria do próprio Poder Executivo, a legislação determina diversas medidas, como a redução de incentivos fiscais, a criação de um programa de regularização de débitos tributários e a simplificação de taxas. 

A expectativa é que a reforma gere, somente este ano, uma receita de até R$ 500 milhões, podendo chegar a um total de R$1,6 bilhão até o final de 2024. Uma das medidas de maior impacto financeiro é a revisão de benefícios fiscais, que tem uma estimativa de aumento de receita de R$618 milhões em quatro anos. No total, 25 setores econômicos que recebem benefícios teriam uma redução temporária de 20% sobre o valor incentivado.  

“Trata-se de um amplo leque de medidas que, em seu conjunto, configuram uma reforma tributária municipal, destinada a simplificar a administração, a fiscalização e a arrecadação de tributos, sempre tendo em vista atrair empresas e, portanto, mais empregos para o município do Rio. Ainda visa garantir a justiça fiscal e assegurar o atendimento às necessidades da população em áreas vitais como a saúde pública, especialmente nesse momento de crise, por meio do potencial de aumento de arrecadação”, afirma o prefeito Eduardo Paes, na justificativa do projeto que deu origem à lei.

O texto traz ainda a criação de um programa que pretende trazer de volta para o Rio as empresas cujos escritórios estão em cidades vizinhas por conta de alíquotas menores do Imposto Sobre Serviços (ISS). Outra proposta é a criação de um benefício para os bons pagadores do IPTU, em que os contribuintes em dia com o imposto teriam desconto no ano seguinte. Também está incluída a revisão das taxas de juros aplicadas aos créditos tributários, que seriam vinculadas à taxa SELIC e a simplificação das regras das taxas cobradas pela Prefeitura. Entre as mudanças, estão a simplificação de cálculos e até o licenciamento de estabelecimentos com emissão de alvará online. 

Diretrizes orçamentárias

Outra lei proposta pelo Executivo sancionada nesta segunda-feira (26) foi a chamada Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022, que orienta a elaboração do orçamento municipal no próximo ano. A Lei nº 7.001/21 estabelece, em seus anexos, as metas e prioridades e o total de recursos que o governo pretende gastar e economizar no próximo ano. A estimativa é de uma arrecadação de R$ 32,7 bilhões para 2022, cerca de R$ 1,5 bilhão a mais que o estimado para 2021. 

 

 

Veja também:

Jul 18, 2024

Agora é lei: cidade do Rio ganhará novo autódromo após 12 anos

Foi sancionada, nesta quinta-feira (18/07), após ser aprovada na Câmara de Vereadores do…
Jul 16, 2024

Agora é Lei: divulgação do direito de troca de implante mamário para tratamento de câncer se torna obrigatória

A cidade do Rio terá uma campanha permanente de conscientização e divulgação do direito…
Jul 16, 2024

Agora é Lei: unidades públicas e privadas de saúde do Rio deverão ter climatização em áreas de espera

Foi sancionada, nesta terça-feira (16/07), a Lei 8.489/2024, que determina que as áreas…
Jul 12, 2024

Visitas ao Palácio Pedro Ernesto têm horário ampliado em julho

O Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara do Rio, está de portas abertas para visitação do…
Jul 11, 2024

Sancionada lei que cria programa para atendimento de vítimas de preconceito religioso e racial

Foi sancionada, nesta quinta-feira (11/07), a Lei 8.473/2024, que cria o Programa…

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia
Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121

Mapa do site



© 2021-2024 Câmara Municipal do Rio de Janeiro